domingo, 21 de junho de 2009

toalha de mesa em quadrados de croche -3

Ola queridas amigas seguidoras e visitantes...Aqui vos trago mais uma toalha aos quadrados muito simples, só que esta não tem barra a acompanhar, mas acho que uma barrinha simples fica bem...Desejo a todas um feliz domingo e bons croches.

6 comentários:

Ana Rodrigues disse...

Olá!
Esta tem um formato bem delicado!
Deve fazer uma lindissima toalha!
Bjs e bom domingo

Rosa disse...

Olà Nela! Sempre belli i lavori che presenti! Questo quadrato è bellissimo e secondo me è adatto
anche per un copriletto. Un abraccio e a presto, Rosa

Eunice Martins disse...

OLÁ MINHA LINDA AMIGA.


Para você que é especial...
Você que um dia conheci
através de uma mensagem virtual,
chegou-se de repente,
deixou a minha vida mais contente,
e tornou-se tão real!!
Você que hoje está sempre presente,
alegrando os meus dias
com doces melodias,
que escuto para recordar
dos bons momentos que estivemos
juntos a teclar.
Você me faz acreditar
que o sentimento virtual
pode ser tão verdadeiro e "real".
Você me faz sentir
esta vontade de lhe escrever
este desejo de estar com você,
e de querer dizer:
Você me faz falta,
quando não lhe encontro
numa simples mensagem
na minha caixa postal.
Porque você já faz parte
do meu mundo real,
e quero que continue nele
para sempre...
porque você é realmente
muito especial!!!
DESEJO QUE SUA SEMANA SEJA MUITO PRODUTIVA.
BEIJOS COM CARINHO.

NELIO disse...

Olá Nela está tudo bem ,embora com muito trabalho,mas ganha-se pouco mas diverte-se hehe.....
Bem relativamente ás alfaces de água elas recuperam se as colocar mais a meia sombra,eu também devia ter avisado,e se não recuperarem volto a enviar não há problema....
não importa o recipiente o que importa é que deve renovar a água,para isso basta meter a ponta da mangueira e deixar correr um pouco,só para que a água não se torne estagnada,com água fresca também as raízes agradecem.....
belos trabalhos que a Nela nos mostra,é uma perfeição,parabéns....
bem vou ter que ir dormir amanhã levanto-me cedo para uma caminhada noutra levada,depois mostro as fotos ....comprimentos

Nélia disse...

Olá Nela!

Os meus 3 filhos que estiveram cá de férias partiram ontem e de casa vazia vou começar a por em dia os meus comentários. Agradeço os esquemas e vou enviar à minha comadre. São todos lindos! A escolha vai ser difícil.Como não sei bem o estilo que ela prefere, depois digo a escolha.
Bom fim de semana
bjs
Nélia

Eunice Martins disse...

OLÁ MINHA ADORADA AMIGA!

PENSE BEM!!!



Se pudéssemos ter consciência do quanto nossa vida é efêmera,
talvez pensássemos duas vezes antes de jogar fora as oportunidades
que temos de ser e de fazer os outros felizes.
Muitas flores são colhidas cedo demais. Algumas, mesmo ainda em botão. Há sementes que nunca brotam e há aquelas flores que vivem a vida inteira até que, pétala por pétala, tranqüilas, vividas, se entregam ao vento.
Mas a gente não sabe adivinhar. A gente não sabe por quanto tempo estará enfeitando esse Éden e tampouco aquelas flores que foram plantadas ao nosso redor. E descuidamos. Cuidamos pouco. De nós, dos outros.
Nos entristecemos por coisas pequenas e perdemos minutos e horas preciosos. Perdemos dias, às vezes anos.Nos calamos quando deveríamos falar; falamos demais quando deveríamos ficar em silêncio. Não damos o abraço que tanto nossa alma pede porque algo em nós impede essa aproximação. Não damos um beijo carinhoso "porque não estamos acostumados com isso" e não dizemos que gostamos porque achamos que o outro sabe automaticamente o que sentimos.E passa a noite e chega o dia, o sol nasce e adormece e continuamos os mesmos, fechados em nós. Reclamamos do que não temos, ou achamos que não temos suficiente. Cobramos. Dos outros. Da vida. De nós mesmos. Nos consumimos.
Costumamos comparar nossas vidas com as daqueles que possuem mais que a gente. E se experimentássemos comparar com aqueles que possuem menos? Isso faria uma grande diferença!
E o tempo passa...
Passamos pela vida, não vivemos. Sobrevivemos, porque não sabemos fazer outra coisa.
Até que, inesperadamente, acordamos e olhamos pra trás. E então nos perguntamos: e agora?!
Agora, hoje, ainda é tempo de reconstruir alguma coisa, de dar o abraço amigo, de dizer uma palavra carinhosa, de agradecer pelo que temos.
Nunca se é velho demais ou jovem demais para amar, dizer uma palavra gentil ou fazer um gesto carinhoso.
Não olhe para trás. O que passou, passou. O que perdemos, perdemos.
Olhe para frente !
Ainda é tempo de apreciar as flores que estão inteiras ao nosso redor. Ainda é tempo de voltar-se para dentro e agradecer pela vida, que mesmo efêmera, ainda está em nós.

DESEJO UMA SEMANA MUITO PRODUTIVA.
BEIJOS COM CARINHO.

Seguidores